Oferecer os Portes de envio ou não?

Existe uma grande discussão na comunidade têxtil sobre a oferta - ou não - dos portes de envio quando se fazem vendas de material têxtil. Hoje vamos fazer um pouco de brainstorming e vamos deixar-lhe a nossa opinião, esperando que contribua com a sua nos nossos comentários.

 

Este é um tema extremamente complicado de analisar e não há uma resposta final; na nossa opinião, a resposta dependerá sempre de pessoa para pessoa e o modelo de negócio que se aplica. O artigo de hoje é apenas isso mesmo, a nossa opinião.

.

» Ofereça os portes de envio - caso isso não implique um aumento no preço da suas t-shirts

Caso consiga manter no seu site o mesmo preço por t-shirt que teria caso não oferecesse os portes de envio, somos totalmente de acordo com a oferta dos portes de envio em todas as encomendas. Uma oferta deste tipo confere valor extra à sua marca de roupa e provavelmente fará com que os clientes voltem e lhe comprem outras peças mais rapidamente ou que a recomendem a outras pessoas;

.

» Não ofereça os portes de envio - caso tenha de aumentar os preços

Os portes de envio em Portugal Continental para o envio de uma t-shirt (baseado num peso entre 100 e 500gramas) são 1,32€ em correio normal não registado (a este valor deve-se adicionar a embalagem de envio). Caso pretenda registar a encomenda - altamente recomendado - este valor sobe para 2,77€. Quase 3€ é um valor um pouco complicado de suportar em todas as encomendas para uma pequena marca de roupa, por isso, se acha que não consegue suportar esse custo sem aumentar o custo das t-shirts, não ofereça os portes de envio.

.

Há estudos que defendem que quando uma pessoa compra algo online não pensa nos portes de envio e que por isso mais rapidamente pagará 14€ + 3€ de portes por uma t-shirt do que se vir 17€ na etiqueta. O que não convém é abusar. Se apenas paga 2,77€ para enviar uma encomenda, não cobre 5€ aos seus clientes. Poderá ganhar mais algum dinheiro em cada venda que faça, mas fará também menos vendas.

 

Na Maudlin aconselhamos a adopção de um sistema muito simples, que é a cobrança de 4€ pelo envio, quer seja de uma ou dez peças diferentes. Com este sistema, além de não estar a aumentar os preços das t-shirts para incluir o custo dos portes, estará a incentivar os seus clientes a comprar mais peças porque sabem que não vão pagar mais por isso.

 

Em que sistema é que prefere comprar ou vender? Com oferta de portes de envio ou "flat rate" que é cobrança do mesmo valor por vários artigos? Diga-nos de sua justiça e junte-se à discussão.

estampagem têxtil

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Email

4 respostas

  1. Em primeiro lugar quero dar-vos os parabéns pois entrei no vosso blog há quase 1 hora e ainda não consegui parar de devorar artigo atrás de artigo!
    Estou a criar a minha própria marca de roupa e tenho andado completamente "às aranhas" com as questões que aqui apresentam: tenho dúvidas de como apresentar a minha marca, de como fazer o site, que métodos de pagamento serão os melhores,, que tipo de impressão, quantidades.... enfim, vocês sabem.

    Esta questão dos portes de envio é, para mim, aquela questão que esta noite me custou umas horas de sono e que jamais esperava encontrar respondida!
    Sei que cada caso é um caso mas para quem caiu nesta área de para-quedas como eu o simples facto de explicarem todas as nuances do assunto e darem algumas ideias reais e quantificadas deixou-me maravilhada!

    Tenho contactado muitas empresas de merchandise com o intuito de trabalhar com alguém que me fornecesse logo o artigo e a impressão mas as dúvidas, o silêncio, a falta de interesse pelo meu interesse e o "pântano" da situação em que esta forma de trato me deixou começa a desmotivar-me.

    Adorava conhecer melhor o vosso trabalho e poder apresentar-vos as minhas ambições e projectos. adorava poder trabalhar com a vossa empresa pois parece-me que se regem pelo mesmo tipo de princípios morais e profissionais que eu.

    Em relação ao artigo, acrescento a seguinte pergunta:

    Apresento o meu caso, que pretendo vender não só a clientes particulares mas também a grupos (encomendas de mais 50/70 peças de roupa incluindo sweat-shirts, mochilas e sacos de desporto).
    Consideram que, nestes casos de encomendas grandes, a entrega feita por mim, no meu carro, ainda que identificado com vinis da marca, poderá ser benéfico (proximidade com o cliente) ou prejudicial (passar uma imagem pouco profissional, de hobbie de fim-de-semana)?

    Muito obrigada pela atenção!

  2. muito obrigado pelo elogio Agar; é um prazer para nós escrever este blog e até funciona como uma forma de nós próprios escaparmos um pouco ao ritmo do dia-a-dia e pensar um pouco sobre o nosso trabalho e sobre o que fazemos. Se ajuda pessoas como a Agar que estão a pensar em começar a vender peças, só ficamos é felizes e até um pouco orgulhosos, há que ser sincero.
    criar uma marca de roupa é tão difícil! há 1001 coisas para pensar, tanto para fazer. À primeira vista temos a ideia que é só estampar umas t-shirts e vendê-las mas existe tanto mais que isso! É preciso um plano a médio/longo prazo, é preciso estratégia, enfim.. há imenso trabalho envolvido no lançamento de uma marca.
    Eu penso que irá encontrar a resposta às suas questões em alguns dos nossos artigos. O tipo de impressão já falámos, as quantidades também publicámos um artigo há pouco tempo, os métodos de pagamento é que penso que ainda não cobrimos, mas vou confirmar e até é um bom tema para desenvolver no futuro.
    Infelizmente (e também já cobrimos esse assunto num artigo) há imensas empresas em Portugal na área do têxtil; a questão é que quantidade não significa qualidade e sem querer falar mal da nossa concorrência, há muitas empresas que só querem trabalhar com o peixe graúdo, fazer estampagens a partir de várias dezenas ou até centenas de encomendas. Isto deixa um vazio muito grande para quem quer começar uma marca mas não tem posses para investir em força (estamos a falar de 95% das pessoas) e torna-se complicado porque pessoas criativas, com vontade de trabalhar e desenvolver acabam por desistir porque não encontram quem lhes faça o material a preços minimamente decentes.
    .
    Quanto ao seu caso em particular, não lhe vou dizer o que deve fazer mas vou-lhe deixar a nosssa opinião e recomendação.
    - Se os seus clientes forem da mesma zona geográfica que a Agar, poderá (e só lhe fica bem) entregar as peças em mão. Isto cria uma empatia ou, como referiu, uma proximidade muito importante na fidelização do cliente. Todos sabemos que manter um cliente sai muito mais barato do que angariar um novo! Indo pessoalmente entregar as peças, mostrando tudo detalhadamente (abrindo a caixa, retirando algumas peças e com um sorriso mostrar e explicar como o trabalho ficou) acredito que consiga fidelizar o cliente de forma muito rápida e passar-lhe mais confiança no seu trabalho porque a conhecem e deixa de ser apenas um contacto no telemóvel.

    - Se o cliente for já de um pouco longe, e até por uma questão financeira (porque a gasolina/gasóleo estão muito caros) envie por correio/transportador, normalmente é um envio de 5/7€. Poderá ter o cuidado de deixar um brinde dentro da caixa (algo simbólico mas útil como agradecimento, as pessoas gostam disso) e um ou dois cartões de visita; tenha também o cuidado de seguir o tracking da encomenda para saber quando ela está entregue e 2 a 3 horas depois telefone ao cliente, procure saber como estava a encomenda, se gostou, se faltava alguma coisa.

    Hoje em dia trata-se sempre de "going the extra mile" pelo cliente, de fazer algo mais.

  3. boas, a minha questão é a seguinte,

    não querendo apenas apostar no mercado português e pensando em encomendas internacionais, que transportadoras ou correio postal recomendam? e é possível saber o preço genérico de portes de envio de uma encomenda baseada no número de itens (pelo peso), ou seja, é melhor fixar um preço por peça ou preço fixo por encomenda? ou no limite, tratar as encomendas nacionais de uma maneira e as internacionais de outra?

    Obrigado

  4. Se estivermos a falar de uma marca de roupa que envia 1,2,3 peças para clientes individuais, o ideal será optar sempre pelos CTT. Os transportadores são uma escolha acertada apenas em encomendas que ultrapassem os 2kgs (que para t-shirts será essencialmente a partir de 10 unidades).
    Os CTT têm uma má fama mas - e digo-o com conhecimento de causa - são dos melhores serviços de correio na Europa!
    Através do site dos CTT é possível saber-se exactamente como são taxadas as encomendas (através de peso) e o prazo de entrega para qualquer ponto do mundo. Ainda através do site há determinados serviços que até permitem simular a encomenda para ver o valor total.
    A minha recomendação será sempre utilizar os CTT quando se tratarem de pequenas quantidades (para encomendas de 2KG ou mais aconselho a Chronopost); taxar pelo peso será a melhor opção já que para o cliente ver os portes a aumentar por cada t-shirt colocada no carrinho pode ser desmotivador..
    Aconselho também enviar SEMPRE em correio registado. É sempre bom poder enviar um tracking number ao cliente para que ele verifique onde se encontram as t-shirts encomendadas. E a diferença de preço não é considerável.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Personalização Têxtil

Estamos disponíveis para te ajudar a criar a tua marca de roupa ou o teu merchandise personalizado com os teus próprios logótipos.

Trabalhamos para empresas e privados sem mínimos de produção.

Posts Recentes
Segue-nos