Métodos de personalização têxtil (Video)

Aqui na Maudlin trabalhamos com vários métodos de personalização. Temos a serigrafia, impressão directa, flex de impressão e bordados. Ora, naturalmente cada um tem a sua especialização. Não podemos imprimir fotografias em serigrafia e não ganhamos nada em imprimir texto em flex. Conhece abaixo as diferenças entre cada um dos nossos métodos de personalização têxtil.

 

TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

Olá amigos, o meu nome é Jorge Vieira. Eu trabalho na Maudlin Merchandise e queria aproveitar este vídeo para falar um pouco sobre os métodos de personalização com que trabalhamos e em especial responder a uma questão que faz parte das FAQ (perguntas frequentes).

.

Uma das coisas que mais nos perguntam é "qual é o melhor tipo de personalização"?

Ora bem, isto parece uma questão muito simples mas é tudo menos isso. Perguntarem-nos isto é a mesma coisa que ir a um stand automóvel e perguntarem qual é o melhor carro. O vendedor vai-vos perguntar para que querem o carro. Querem andar a lavrar terra? Querem andar na auto estrada, em cidade? Há 1001 respostas a esta questão, dependendo do que quiserem, do orçamento que tiverem e de diversos factores.

Connosco passa-se exactamente a mesma coisa. O melhor método de impressão é o que for melhor para si, para o seu trabalho.

Posso dizer que o melhor é a serigrafia e depois o cliente apresenta-me uma ilustração com 500.000 cores e não posso fazer isso em serigrafia.

Posso dizer que o flex é a melhor opção e depois apresenta-me um trabalho com muito pormenor à volta da imagem e também não consigo fazer isso.

.

Portanto, o melhor método de personalização é aquele que é ideal para o trabalho que nos apresentar. Precisamos de saber o que é que procura. Que quantidades procura, qual a área de impressão ou bordado; há 500 perguntas que eu teria de lhe fazer para responder a isto.

O que eu posso dizer para já é, para cada caso, qual é que é ideal.

.

Quando temos uma personalização com bastante cor, com uma ilustração com muito pormenor e quero fundos claros - idealmente - ou fundos escuros e, com pequenas tiragens (edições limitadas), a impressão directa é uma boa solução.

Eu tenho aqui (ver vídeo) uma amostra em impressão directa. Este é um trabalho que funciona perfeitamente em impressão directa. Porquê?

Porque temos muita cor, muito degrade, muita variação em várias áreas. Isto significa que em serigrafia nunca conseguiríamos fazer estes pormenores (iriam desaparecer), íamos ter de escolher 3 ou 4 cores e estampar aqui, o que nem sempre é o ideal.

Em flex também não seria bom porque é uma área demasiado grande. Estar a meter aqui uma imagem de plástico tão grande, além de extremamente caro também não ia ficar uma t-shirt confortável de usar.

Para um trabalho com ilustração com muita cor, principalmente para quantidades pequenas, a impressão directa é perfeita.

.

Quando temos uma imagem como esta (ver vídeo), com cores sólidas, a serigrafia é uma excelente opção. É uma imagem bastante grande, que em flex se ia transformar muito desconfortável pela área que ocupa e em impressão directa iria ficar bastante caro sem ganhar nada em termos de qualidade.

Este é o trabalho ideal para a serigrafia. Cores directas, não muitas cores (neste caso 2). É uma excelente opção para a serigrafia.

É preciso indicar que a serigrafia tem um mínimo de 24 peças, o que significa que não pode ser para trabalhos com edições muito limitadas, caso contrário temos problemas.

Temos também como opção o flex. O flex de impressão é o método ideal para este tipo de imagem (ver vídeo).

Estamos a falar de uma imagem com 3 cores, apesar que sendo uma impressão digital não tem limite de cores.

Neste caso o cliente queria 5 ou 10 t-shirts. A impressão directa não era uma boa opção para aqui, iria ficar bastante caro, desnecessariamente. A serigrafia, com um mínimo de 24 peças, também não é uma boa opção.

Sobra-nos o flex, que aqui é perfeito. Isto porque esta imagem, apesar de ter muitos pormenores, ao mesmo tempo não tem pormenor suficiente que não nos permita fazer o corte (descrição dos cortes > ver vídeo).

Este tipo de imagem é perfeita. Para pequenas tiragens, com uma imagem não muito grande. A4 é o ideal, não mais do que isso.

.

.

Ou seja, um pequenino resumo sobre os vários métodos de personalização.

Impressão directa > ilustrações com muita cor e pormenor, com uma área relativamente grande

Serigrafia > cores sólidas. O que é preto é preto, amarelo é amarelo. Tiragens já médias e altas (mínimo de 24, idealmente 50 ou 100 peças), com muito boa qualidade.

Flex de impressão > pequenas tiragens, tal como a impressão directa com imagens que nos permita fazer recorte.

Se tivermos uma daquelas imagens em que o fundo é preto e vai desvanecendo até criar uma imagem, esqueçam. Isso nem em impressão directa, nem em serigrafia. É um trabalho impossível de fazer. Lembrem-se que não estamos a falar de computadores em que conseguimos mexer nos tons e atingir determinados fins. Estamos a falar de algo físico e há limites ao que conseguimos fazer assim. É uma t-shirt, não um computador com Photoshop.

.

São estas as diferenças entre os métodos de personalização que temos. Falta-nos falar apenas sobre os bordados mas isso fica para outro vídeo.

Alguma questão que tenha, coloque nos comentários do nosso blog, terei todo o prazer em responder.

.

.

estampagem têxtil

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Personalização Têxtil

Estamos disponíveis para te ajudar a criar a tua marca de roupa ou o teu merchandise personalizado com os teus próprios logótipos.

Trabalhamos para empresas e privados sem mínimos de produção.

Posts Recentes
Segue-nos