Materiais reciclados e certificação: o que precisa de saber!

Lembra-se que em março de 2022, a União Europeia revelou a sua estratégia em torno de um tema fundamental? Têxteis sustentáveis e circulares.

Qual era o seu objetivo? Tornar a indústria têxtil mais "verde". E para o conseguir, as medidas devem ter em conta todo o ciclo de vida do produto (vestuário, roupa de cama, malas e acessórios).

Os principais requisitos incluem:

  • condições de trabalho regulamentadas ao longo de todo o processo de fabrico e distribuição;
  • transparência em relação ao consumidor final;
  • controlos rigorosos de todos os processos de produção e de tratamento, bem como da gestão dos resíduos.

Para não falar de um dos aspetos que vamos explorar neste artigo: a proporção de fibras recicladas na composição dos produtos têxteis. Isto ajuda a evitar o consumo excessivo de matérias-primas através da reutilização de materiais pré-existentes.

A ambição está totalmente em linha com o relatório do IPCC de 2022, que estabeleceu uma lista de ações destinadas a reduzir a pegada ecológica para cada linha de negócio. A indústria - e, por conseguinte, os têxteis - está incluída e é convidada a "favorecer materiais mais sustentáveis, a reciclagem e a redução de resíduos" (Fonte: Ecocert |Novo relatório do IPCC: as soluções CLIMÁTICAS de que precisamos - abril de 2022)

Para garantir a coerência e a eficácia dos esforços desenvolvidos pelos vários intervenientes, estes devem obedecer a especificações rigorosas, monitorizadas por organismos independentes, neutros e objectivos.

É aqui que entra a certificação, que é o nosso tema de hoje. Ou seja, as certificações RCS e GRS, que abrangem a utilização de materiais reciclados no mundo têxtil e não só. 

Eis o que precisa de saber!

Materiais Reciclados - um tema em alta!

Alguns números-chave: 

Atualmente, os europeus deitam fora 11 kg de têxteis por ano. Em todo o mundo, é deitado fora o equivalente a um camião cheio de têxteis por segundo.

Consideremos também que mais de metade das fibras têxteis mundiais produzidas em 2020 eram de poliéster, derivadas de uma fonte não renovável: o petróleo.

Por último, o consumo de produtos têxteis deverá aumentar mais de 60% até 2030.

Uma triste situação que está a obrigar os vários intervenientes do sector têxtil a encontrar e, sobretudo, a adotar soluções verdadeiramente mais sustentáveis. Uma dessas soluções é a reciclagem de materiais pré-existentes, inicialmente destinados a serem deitados fora.

A certificação guiar-nos-á nesta transição, confirmando uma abordagem tangível e verificável, monitorizada por um organismo terceiro imparcial.

Quem desenvolve, promove e actualiza a certificação?

Neste caso, é a Textile Exchange, uma organização global sem fins lucrativos que trabalha para transformar de forma sustentável e positiva a indústria têxtil. 

Para o efeito, o seu programa inclui várias normas, incluindo RCS e GRS. Os membros e embaixadores da Textile Exchange reúnem-se em comités e conferências ou em torno de mesas redondas para afinar em conjunto o papel destas certificações ao longo da cadeia, as suas diferenças, as suas áreas de aplicação, a utilização dos seus logótipos, etc.

Estas certificações abrangem os materiais, a transformação, a rastreabilidade e o fim de vida dos produtos da indústria têxtil.

Por fim, todas as reflexões da Bolsa de Têxteis trabalham para um objetivo fundamental: ter um impacto positivo na água, no solo, no ar, nos animais e na população humana.

Qual é o objetivo da certificação RCS?

A certificação RCS (Recycled Claim Standard) pode aplicar-se a empresas têxteis que produzem, tecem, tingem e distribuem, bem como a empresas que reciclam e transformam materiais reciclados. Este rótulo permite-lhes vender produtos fabricados com pelo menos 5% de materiais reciclados.

O principal objetivo é garantir a rastreabilidade das matérias-primas recicladas ao longo da cadeia de produção, fornecimento e distribuição.

A presença e a quantidade de material reciclado na composição de um produto acabado são controladas por um organismo terceiro independente.

Uma vez efetuados os controlos e confirmados por um organismo de certificação aprovado, como o Ecocert, o logótipo RCS pode ser utilizado no produto em questão. Existem dois níveis:

Level 1: RCS 100

O produto contém pelo menos 95% de materiais reciclados;

Level 2: RCS blended

O produto contém entre 5 e 95% de materiais reciclados.

Em suma…

A certificação RCS atesta a presença, a quantidade e a rastreabilidade dos materiais reciclados no produto com a ajuda de um organismo de certificação independente.

Existem dois níveis de certificação RCS, consoante o produto acabado contenha mais ou menos de 95% de materiais reciclados.

Qual é o objetivo da certificação GRS?

A certificação GRS (Global Recycled Standard) é mais abrangente, na medida em que certifica os materiais reciclados de um produto, ao mesmo tempo que inclui dimensões ambientais e sociais rigorosas nas suas especificações. Inicialmente criada pela Control Union, é propriedade da Textile Exchange desde 2011 e é actualizada aproximadamente a cada três a cinco anos. A versão atual, 4.0, está em vigor desde 2017.

O principal objetivo é aumentar a utilização de materiais reciclados num produto acabado, monitorizando simultaneamente as práticas sociais e ambientais ao longo do processo de fabrico.

A presença e a quantidade de materiais reciclados, a ausência de produtos químicos tóxicos e o respeito pelos direitos fundamentais dos trabalhadores são controlados por um organismo independente.

O que é que a certificação GRS garante?

  • Pelo menos 20% de materiais reciclados;
  • Um material verdadeiramente reciclado, por oposição a novos produtos fabricados com o único objetivo de serem diretamente reciclados;
  • Procedimentos responsáveis: produção, tratamento da água, gestão dos resíduos;
  • Respeito pelos direitos fundamentais dos trabalhadores.

Em suma…

A certificação GRS pode implicar um produto acabado que contenha pelo menos 20% de materiais reciclados.

os processos de produção e tratamento (água e resíduos) devem ser efectuados de forma sustentável e em conformidade com os requisitos das especificações GRS. Esta norma refere-se a produtos que contenham pelo menos 20% de materiais reciclados, mas para incluir o logótipo no rótulo de um produto, este deve conter pelo menos 50%.

estampagem têxtil

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Personalização Têxtil

Estamos disponíveis para te ajudar a criar a tua marca de roupa ou o teu merchandise personalizado com os teus próprios logótipos.

Trabalhamos para empresas e privados sem mínimos de produção.

Posts Recentes
Segue-nos