A verdade sobre T-Shirts "made in Portugal" (Video)

Recebemos frequentemente contactos de clientes que procuram fazer algo diferente neste mundo de estampagem de t-shirts, dando primazia a t-shirts produzidas em Portugal. Verdadeiras T-Shirts nacionais, portanto.

Antes de mais, quero esclarecer que somos a favor de, sempre que for possível, utilizar o que é Português porque realmente tem muito mais qualidade do que praticamente tudo o que vem de fora.

O caso das t-shirts produzidas em Portugal, no entanto, é um pouco mais complicado do que possa parecer inicialmente.

É verdade que existem marcas promocionais portuguesas. Temos as nossas favoritas TH Clothes e Mukua, que são marcas promocionais excelentes e de qualidade muito superior a quase tudo o que se vê à venda lá fora. Usamo-las todos os dias e são as nossas prioridades em termos de compra e personalização.

É também verdade que temos uma industria têxtil muito boa e com relativa saúde, apesar de, com a crise muitas pequenas confecções não terem conseguido manter as portas abertas.

.

Dito isto, deveríamos ter todos os ingredientes para conseguir boas marcas nacionais de têxteis promocionais, com todo o material feito em Portugal, correcto? Afinal temos a procura (marcas) e temos a oferta (fabricantes). Pois, não. Infelizmente nem tudo o que parece fácil realmente o é.

Algo que é importante reter é que, com a crise, as nossas confecções tiveram a necessidade de se especializar. O tempo em que nós (portugueses) lutávamos unicamente pelo preço terminou quando a China abriu o seu mercado para o mundo. Todo o negócio de cêntimos foi para a China e mais recentemente para o Bangladesh e India e, neste momento não temos como rivalizar com a escravidão de ordenados e a falta de condições de trabalho existentes por lá. Por mais baixos que possam ser os ordenados em Portugal, nunca conseguiremos competir com todo este material vindo da Ásia. E ainda bem, porque não é aí que nos devemos posicionar, já que isso nunca gerará realmente riqueza para o país.

Em Portugal as confecções especializaram-se em algo de valor, QUALIDADE. E qualidade paga-se caro. Assim, é normal vermos e lermos nos jornais entrevistas a directores de empresas do sector têxtil que referem que 80/90% do que produzem é para exportação. Por muito que queiramos, em Portugal não há mercado para este tipo de material, principalmente na área promocional, que é onde nos situamos. Neste sector por vezes a qualidade é importante, mas há uma diferença grande (em termos de custo) entre ter um artigo bem feito, com boas costuras e ter um artigo de ALTA qualidade, com padrões de tecidos melhores e acabamentos da primeira qualidade. É nessa diferença que se faz ou destrói uma marca neste negócio de cêntimos.

.

Não nos podemos esquecer que os nossos clientes por norma vendem as suas peças por 15/25€, mas compram-nas a 5/6€. Desse valor, há que retirar o custo do nosso trabalho e de personalização, o que faz descer o valor de uma t-shirt para os 2/3€. Desse valor é preciso ainda retirar margens de toda a cadeia de produção e distribuição, custos de transporte, impostos e mais uma miríade de custos divididos por várias empresas. O valor que sobra não é mais do que cêntimos para quem produz e para quem vende. Em muitas situações, a diferença de 5 cêntimos por t-shirt faz toda a diferença na sobrevivência de uma marca.

.

Para uma marca de têxteis para revenda que tem de competir com as Fruit of the Loom, Sol's e B&C desta vida, empresas gigantes que têm braços enormes e que vendem milhares de milhões para todo o mundo, é difícil ou até mesmo impossível produzir em Portugal porque nunca se irá conseguir competir em preço. Assim, estas marcas nacionais não têm outra opção senão seguir o mesmo caminho que todas as outras e ir produzir à China ou ao Bangladesh.

Ainda assim, não pensemos que as nossas marcas são iguais a qualquer outra. Por norma são roupas melhores, mais ajustadas ao nosso mercado e com cortes e acabamentos premium.

Além disso, não deixam de ser empresas de capitais nacionais, que empregam e pagam impostos em Portugal. Ao comprar TH Clothes ou Mukua estará objectivamente a comprar nacional e a apoiar as nossas empresas.

.

.

Em jeito de conclusão, actualmente há marcas portuguesas mas não há marcas Made in Portugal (no sector promocional). Se pensarmos bem na cadeia de produção, Portugal não é produtora de algodão; mesmo que a produção e confecção fossem feitas em Portugal, TODA a matéria prima continuaria a vir de fora, a única coisa extra que seria feito seria o corte e costura da peça.

.

.

Falámos recentemente com o Mauro, o dono da TH Clothes sobre este tema. No vídeo abaixo ele dá-nos a sua perspectiva única sobre este tema.

estampagem têxtil

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Email

3 respostas

  1. Muito bom texto, Jorge. Como sempre, tirando todas as nossas dúvidas.
    Agradecida
    Mel

  2. É certo que não existe produção de algodão em Portugal e temos de importar a matéria-prima, mas creio que quando a produção da t-shirt é feita em território nacional, será correto afirmar que se trata de produto "Made in Portugal" ou não? Creio que as t-shirts da TH apenas são desenhadas e criadas em Portugal, e produzidas fora, mas existem outras marcas que produzem em Portugal com matéria-prima importada ( Exemplo: produtos da marca/loja"Isto.")

  3. Está correto. Há um "limiar" de valor acrescido para que possamos referir um produto como "Made in Portugal". Desde que parte da cadeia de valor seja realmente Made in Portugal, já o podemos dizer. No entanto é uma área um pouco cinzenta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Personalização Têxtil

Estamos disponíveis para te ajudar a criar a tua marca de roupa ou o teu merchandise personalizado com os teus próprios logótipos.

Trabalhamos para empresas e privados sem mínimos de produção.

Posts Recentes
Segue-nos