15 erros que os designers cometem Pt1

Os designers que trabalham na área da música ou a desenhar t-shirts para as marcas de roupa são dos que mais talento têm na industria. Também poderiamos apostar que são os que mais liberdade artística têm ao criar a sua arte.

Ainda assim existem bastantes condicionantes técnicas que não lhes permitem desenvolver a sua arte ao máximo. O facto de as estampagens por serigrafia terem limites de cor é sem dúvida o maior problema; felizmente isso está a mudar e presumimos que dentro de 5 anos a impressão digital directa seja um concorrente de peso para pequenas e grandes tiragens de t-shirts, tanto a nível de qualidade como de custos, o que virá revolucionar o mercado das t-shirts personalizadas de uma forma nunca vista anteriormente.Se é um designer e a sua carteira de clientes baseia-se especialmente em bandas e marcas de roupa, este artigo é para si. Verifique se está a proceder correctamente.

.

Alguns erros mais comuns que os designers cometem:

.

1. NÃO COBRAR O SUFICIENTE

Hoje em dia é extremamente fácil encontrar uma cópia pirata do Photoshop ou do Illustrator; por outro lado, os designers estão a nascer como cogumelos. Para os designers mais experientes este é um grande problema pois cria a concorrência de designers mais jovens que trabalham literalmente a partir de casa dos pais a "roubar-lhes" trabalho que estes necessitam para viver e pagar as contas. O problema? Estes novos designers cobram valores extremamente baixos (e por vezes até nem cobram!) por um design.

Isto é mau a dois níveis. Por um lado, os designers mais experientes e possivelmente com melhor técnica não conseguem trabalhar; por outro lado, os clientes habituam-se a preços mais baixos e recusam-se a pagar o que um design realmente vale.

Embora seja péssimo para um designer experiente que algo assim aconteça, os mais jovens precisam de construir um portfolio e ninguém vai pagar muito dinheiro a alguém que não tem nada para mostrar ou que ainda só tem 2 ou 3 trabalhos. Consideramos que começar na casa dos 40/50€ é bastante aceitável quando ainda está a começar a sua "carreira", mas assim que se começar a tornar mais conhecido, deverá começar também a aumentar as suas taxas. Se for realmente bom, é apenas uma questão de tempo até que sejam os clientes a ir ter consigo e a pagar o que lhes pedir sem negociar.

.

Muitas vezes os clientes tentam ser "bullies" e ameaçar que vão a outro lado se você não baixar o preço. Maior parte das vezes é bluff e se estão a negociar consigo é porque também têm interesse e vontade em trabalhar consigo. É importante que não ceda e que perceba que as bandas fazem merchandising para lucrar e que de facto lucram bastante com a sua venda.

A titulo de exemplo. 100 t-shirts brancas com estampagem a 2 cores custam 280€ (2.8€ cada). As bandas nunca vendem as t-shirts a menos de 10€, o que dá 1000€ em vendas; ou seja, 720€ de lucro! E não têm 50/100€ para lhe pagar o design? Pense nisso.

.

2. IGNORAR A TIPOGRAFIA

De acordo com o  Adam Law, "a tipografia não é algo que se atire para a imagem no final do processo de design. A tipografia é tão importante como o resto do desenho, se não mais e deverá receber a mesma consideração que o resto do design".

Isto acontece com bastante frequência. Grande parte dos designers cria uma imagem e apenas no final da criação é que pensam em que tipo de letra utilizar. Infelizmente em 80% dos casos simplesmente vão à lista de tipos de letra e escolhem uma que fique minimamente bem em vez de a fazerem de forma a que fique integrada no design. Um excelente exemplo é a imagem que apresentamos em baixo. Enquanto o design está com uma qualidade muito acima da média, o tipo de letra é simplesmente horrível e estraga por completo a imagem.

Worth Dying For image

.

3. COMPORTAMENTO POUCO PROFISSIONAL

Como referimos no ponto 1, com o advento da Internet é cada vez mais frequente ver miúdos de 15 anos a competir com os designers profissionais. Além de criar o problema do preço que já referimos, também cria um outro problema: comportamento inconstante e pouco profissional.

Mas o que é comportamento pouco profissional? Podemos referir por exemplo, como os e-mails são escritos (com erros ortográficos, em letras maiúsculas), a forma como se fala ao telefone (gaguejar, dizer algo e retirar logo a seguir), como trata outros designers, entre outros.

Faça um esforço para parecer mais profissional. Um cliente é isso mesmo, um cliente; e embora possam ter uma boa relação de trabalho, em maior parte das vezes é apenas uma pessoa que vai mesmo é pagar pelo seu trabalho e recomendá-lo - ou não - a outros clientes. Se for profissional do início ao fim do processo, terá mais hipóteses de ser recomendado para novos serviços.

.

4. PROMETER DEMAIS

Um dos grandes problemas dos designers é prometer tudo e mais alguma coisa. Se alguém o contacta e diz que precisa de 3 ou 4 designs para o dia seguinte, seja realista e diga se realmente consegue ou não fazê-lo. É melhor para si perder o trabalho e ser honesto e no futuro conseguir um outro trabalho do mesmo cliente do que dizer que consegue fazer e quando chega a hora, o trabalho não estar feito ou estar feito mas com muito pouca qualidade. Acha que o cliente vai voltar com alguma destas hipóteses?

Se o cliente lhe pede uma imagem com um número limitado de cores que necessite de várias camadas de halftones, vectorização, etc, seja sincero e diga se consegue fazê-lo.

.

5. NÃO PERCEBER COMO FUNCIONA A ESTAMPAGEM

Isto é um caso muito grave. Infelizmente para nós que fazemos a estampagem de t-shirts, grande parte dos designers não faz a mínima ideia como funcionam as estampagens. Estampar imagens em t-shirts não é como imprimir uma folha na impressora. As cores das imagens têm de ser sólidas, os designs são cobrados por cada cor utilizada e um jpeg não vale nada nesta industria.

Saber como funciona a serigrafia, o transfer digital ou a impressão directa é responsabilidade do designer e é muito frustrante ter de explicar ao cliente final que não conseguimos fazer uma imagem na qual ele gastou dezenas ou centenas de euros!

O cliente pede um design, o designer faz e nós não conseguimos estampá-lo. E agora? De quem é a responsabilidade e o que se vai fazer? Ou tenta dar um jeito ao design e ele vai perder qualidade porque não foi feito para 2 ou 3 cores ou então começa um de novo com um conceito diferente. Ou então o cliente manda-o dar uma volta e vai procurar alguém que lhe faça o design em condições. E quem fica a perder e com um cliente insatisfeito? O DESIGNER!

.

.

Em conclusão, os designers mais jovens precisam de parar de se queixar que são explorados; sejam firmes no vosso preço. Se acreditam no vosso trabalho não cobrem uma ninharia por ele!

Investiguem, façam o vosso trabalho de casa. Não conseguirão fazer um design preparado para estampagem se não souberem como esta funciona.

Seja de confiança e profissional.

.

Estes são os primeiros 5 erros de um total de 15 que temos para lhe falar. Nas próximas semanas iremos continuar a falar sobre estes mesmos erros e problemas. Não perca.

estampagem têxtil

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Email

Uma resposta

  1. Estou com uma enorme dificuldade para encontrar bons profissionais na zona de Oeiras/Sintra. Por acaso conheces alguém?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Personalização Têxtil

Estamos disponíveis para te ajudar a criar a tua marca de roupa ou o teu merchandise personalizado com os teus próprios logótipos.

Trabalhamos para empresas e privados sem mínimos de produção.

Posts Recentes
Segue-nos